DISFORIA DO GÉNERO espaço não oficial

13
Jul 08

Isso parece um Caos...

 

Em ciência hoje em dia, sabemos que processos determinísticos (como os genéticos e endócrinos anteriormente descritos), quando submetidos a mínimas anomalias no seu início, podem se tornar imprevisíveis (caóticos).
Esse é o caso da identidade de gênero onde o processo formador é tão complexo no cérebro basal (devido à ação de pelo menos 54 genes e dois processos complexos na ação de hormônios sexuais), que a imprevisibilidade existe, independentemente da diferenciação genital (até então considerada simples, certa e definitiva na determinação da identidade de gênero)
Esse processo complexo de possível harmonia ou discordância de gênero interna, na biologia do feto, onde se aplica a complexidade dos processos deterministicos, prepondera na complexidade da formação da identidade de gênero tomado por base o substrato neural basal. Pequenas influências durante a gestação, mesmo emocionais da mãe, podem gerar um caos...

Androgen Insensitivity Syndromes- AIS

Existem 3 tipos característicos de síndromes genéticas, determinadas por mínimas mutações do gene específico no cromossomo X

Complete Androgen Insensitivity Syndrome-CAIS
Partial Androgen Insensitivity Syndrome – PAIS
Mild or Minimum Androgen Insensitivity Syndrome- MAIS
Casos CAIS geram sempre uma síndrome específica, conhecida como feminização testicular;
Casos PAIS geram casos de intersexo e possiveis casos GIDNOS;
Casos MAIS podem gerar casos de GID.
Casos de GIDNOS e de GID não se limitam a apenas esta etiologia.
(GRÁFICO)

No início todos são XY. Durante a diferenciação genital ocorre uma grande diversidade de casos de intersexo (pacientes MAIS,PAIS e CAIS), e a diversidade torna a ocorrer nas diferenciações neurais basais e nas correspondentes identidades de gênero. Praticamente é uma situação de caos, onde tudo pode acontecer... ou quase tudo.

(GRÁFICO)
Todos os pacientes são XY. Na totalidade deles, os genitais externos se formaram como intersexo, mais ou menos masculinos. A imprevisibilidade da diferenciação neural e a consequente identidade de gênero, é total. Um verdadeiro Caos. Isso tudo acontece durante a gestação em primatas.
(GRÁFICO)
Todos os pacientes originalmente são XY. Na diferenciação genital, por casos PAIS, os genitais externos foram bastante não masculinizados, mas não restando completamente femininos como nos casos CAIS. As diferenciações neurais e as correspondentes identidades de gênero são bastante caóticas, quanto mais se afasta a genitália externa de uma condição plenamente feminina ou masculina. Esses casos de intersexo são reais.
publicado por UNO às 01:01

TARDES DA JÚLIA A TRANS É UMA DOENÇA?
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
Portal da ordem dos médicos
ARTIGO 55.º (Transsexualidade e manipulação genética) 1. É proibida a cirurgia para reatribuição do sexo em pessoas morfologicamente normais, salvo nos casos clínicos adequadamente diagnosticados como transexualismo ou disforia do género. (Redacção introduzida pelo Plenário dos Conselhos Regionais de 95.06.03) 2. É proibida a manipulação genética no Ser Humano.
Online
online
.
Visitantes
Mississippi Jones Act
Mississippi Jones Act Counter
blogs SAPO