DISFORIA DO GÉNERO espaço não oficial

13
Jul 08

F.64.0 e F.64.2

(Transexualismo)

Causas Principais - Base Teórica

Hoje se sabe que o cérebro basal, suporte para o desenvolvimento do sentimento de ser menino ou menina como identidade de gênero, através da ação de genes e hormônios, se diferencia durante a gestação, de forma definitiva em primatas, inclusive humanos.
Sabe-se também que os processos de diferenciação dos genitais e do cérebro basal são distintos, e de distintas complexidades. Pode portanto haver a discordância de gênero entre esses processos de diferenciação.
 
Parágrafo: a Masculinização Sexual

 

Tecidos Genitais
Masculinização das gônadas pela ação do gene SRY;
Masculinização dos genitais externos, pela exclusiva ação de DHT-dihidrotestosterona no receptor de androgênios (AR), promovendo a formação do penis.
Problemas na produção de DHT, ou na ação de DHT geram casos de intersexo.
 
Tecidos Basais Neurais
Dezenas de genes participam nesse processo, pois produzem RNAm durante o processo;
A Testosterona-T atua diretamente no processo, atuando no AR ou mesmo aromatizando e atuando em ER.
Os processos de masculinização são muito complexos, e dependem sempre de Abundância de T.
Independe da presença de DHT.
 
Continuando o parágrafo
 
Por outro lado sabe-se que a ativação de AR por DHT é quatro vezes mais forte que a ação de T;
Sabe-se que T atua de duas formas (sobre AR e ER) apenas durante a gestação (em primatas), e apenas nos sistemas basais do cérebro, como sistema límbico e sistema hipotalâmico, incluindo a estria terminal. Esse cérebro basal determina a identidade;
Regiões corticais do cérebro são masculinizadas como os tecidos genitais, por DHT, durante e após a gestação.Por outro lado poucos genes diferenciam as gonadas, mas muitos genes participam da diferenciação do cortex cerebral.
O cérebro feminino normal será feminino basal e corticalmente. Vice versa para o masculino;
O cérebro de uma mulher GID poderá ser feminino na parte basal e masculino na cortical... O que pode acarretar uma inteligência diversa entre normais e GID`s mulheres e homens.

 

Voltando ao assunto

Por outro lado sabe-se também que o estado emocional da mãe afeta sua situação imunológica, que afeta a situação endócrina do feto, de forma a poder vir a interferir na diferenciação neural basal do feto.

Sendo assim é possível a DISCORDÂNCIA DE GÊNERO entre a conformação basal do cérebro (responsável pela identidade de gênero) e a aparência genital (única responsável, na lei brasileira, pela diferenciação sexual e de gênero no ser humano). Essa é a causa biológica principal do transexualismo.
Por outro lado, sabemos também, com base em nossa experiência profissional, que FORTES TRAUMAS podem desestruturar a identidade de gênero, gerando o desejo, por um PTSD, de uma redefinição existencial e social;
É importante salientar que o trauma deixa sempre sequelas devido a essa destruição ou desestruturação de algo tão fundamental para o ser humano, como o se sentir menino ou menina. Essas sequelas não existem na discordância de conformação neural original, devida a fatores genéticos e endócrinos.

 

publicado por UNO às 00:44

TARDES DA JÚLIA A TRANS É UMA DOENÇA?
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
Portal da ordem dos médicos
ARTIGO 55.º (Transsexualidade e manipulação genética) 1. É proibida a cirurgia para reatribuição do sexo em pessoas morfologicamente normais, salvo nos casos clínicos adequadamente diagnosticados como transexualismo ou disforia do género. (Redacção introduzida pelo Plenário dos Conselhos Regionais de 95.06.03) 2. É proibida a manipulação genética no Ser Humano.
Online
online
.
Visitantes
Mississippi Jones Act
Mississippi Jones Act Counter
blogs SAPO